Postal do Algarve

Postal do Algarve
Postal do Algarve

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Salinas de Faro e Cais Neves Pires

Postal Salinas de Faro e Cais Neves Pires

Vídeo Salinas de Faro e Cais Neves Pires - Parte 1 de 3: https://www.youtube.com/watch?v=F0BYFXvoP5g
Vídeo Salinas de Faro e Cais Neves Pires - Parte 2 de 3: https://www.youtube.com/watch?v=RqIvRThz0S8
Vídeo Salinas de Faro e Cais Neves Pires - Parte 3 de 3: https://www.youtube.com/watch?v=0dnS_PVvpVM

As Salinas de Faro e o Cais Neves Pires situam-se no Parque Natural da Ria Formosa, junto à Cidade de Faro. Actualmente, encontram-se abandonados.

Vista de satélite das Salinas de Faro e do Cais Neves Pires

Legenda:
1- Salinas de Faro
2- Cais Neves Pires







Ao longo dos caminhos destas salinas pode-se observar vegetação herbácea de pequena dimensão.






O maçarico-galego é uma das diversas aves que se podem encontrar neste local. Esta é uma das maiores aves limícolas da avifauna portuguesa e um dos maiores membros da família Scolopacidae.

Maçarico-galego
Ordem
Charadriiformes
Família
Scolopacidae
Género & Espécie
Numenius phaeopus
Peso
Cerca de 454 gramas
Comprimento
36-46 centímetros
Envergadura
Cerca de 81 centímetros
Época de reprodução
Maio-Junho
N.º de ovos
2-5
Período de incubação
27-28 dias
Intervalo entre os nascimentos
1 ano
Dieta típica
Pequenos invertebrados aquáticos, crustáceos (ex. caranguejos), insetos e moluscos.
Longevidade
Mais de 11 anos

















Esta ave apresenta um longo e fino bico curvado para baixo, mais sensível na ponta, especializado na busca de comida em estreitas e profundas aberturas. A língua move a comida para a parte traseira do longo bico.
A sua plumagem acastanhada da parte de cima, que serve de camuflagem, contrasta com a plumagem branca da parte de baixo. As suas asas são fortes e o seu rabo é curto em comparação com o resto do corpo. Caracteriza-se por ter umas longas pernas, que o ajudam a caminhar na água durante as marés altas. A sua visão é arguta e mantém sempre um olho vigilante sobre a sua envolvente.
O maçarico-galego encontra-se constantemente, individualmente ou em grupos pequenos, em busca de alimento nos lodos, rochedos ou praias.
Esta espécie nidifica nas regiões árcticas e migra maioritariamente para África, sul da Ásia, Austrália e América do Sul. Durante as migrações, esta ave pode aparecer em estuários, lagoas e pastagens. Bandos de migradores, de dimensões variáveis, permanecem em formação V durante longas viagens, que podem atingir 4 000 km, como por ex. entre o sul do Canadá e o sul da América. Enquanto ave migradora de passagem, pode ser avistada sobretudo ao longo de todo o litoral português, nos meses de Abril e Maio e de Setembro e Outubro. Existe uma pequena população invernante desta espécie dispersa pelo litoral do sul de Portugal.
O maçarico-galego distingue-se do maçarico-real apenas por ser um pouco mais pequeno e por ostentar 2 grandes riscas escuras na cabeça. 

Maçarico-galego (Numenius phaeopus)


Deste local avista-se a Ria Formosa, o Cais Novo de Faro e a Cidade de Faro. 















O antigo Cais Neves Pires encontra-se, há muitos anos, desativado e degradado. Neste cais efetuavam-se cargas e descargas relativas ao transporte marítimo de sal.







domingo, 24 de novembro de 2013

Cais Novo de Faro e Estrada do Cais Comercial

Postal Cais Novo de Faro e Estrada do Cais Comercial


O Cais Novo de Faro, também designado por Cais Comercial de Faro ou Porto Comercial de Faro, situa-se no Parque Natural da Ria Formosa.


Mapa do Cais Novo de Faro e Estrada do Cais Comercial


Legenda: 
1-Cais Novo de Faro
2-Estrada do Cais Comercial
3-Passagem de nível

Vídeo Cais Novo de Faro e Estrada do Cais Comercial: https://www.youtube.com/watch?v=mYXDeijgVqs

Durante 40 anos, a movimentação de cargas do Porto Comercial de Faro baseou-se na recepção de produtos petrolíferos, provenientes do Porto de Sines, a fim de abastecer o Aeroporto Internacional de Faro e as gasolineiras.
Actualmente, este cais constitui um dos pilares exportadores da economia regional do Algarve. No segundo semestre de 2013, a sua movimentação de carga cresceu pelo sexto semestre consecutivo, subindo 30% em comparação com o período homólogo do ano anterior. Em 2013, foram movimentadas cerca de 400 000 toneladas de mercadorias. Estas movimentações são quase na sua totalidade exportações.

Produtos do Algarve exportados a partir do Cais Novo de Faro
Produtos
Destino dos produtos
Cimento
Argélia e Cabo Verde
Pedra, ferro e telha
Gibraltar
Alfarroba
Inglaterra
Atum (é transportado em frigoríficos, numa temperatura de 60 graus negativos)
Japão

Ainda em relação às movimentações decorrentes neste porto, destacou-se a exportação de cimento, produzido na cimenteira da Cimpor em Loulé. Esporadicamente também são exportados outros produtos, tais como sal marinho para consumo humano e sal-gema industrial.

No entanto, há vários anos que a zona portuária de Faro permanece em estado de abandono e carece de investimentos. Esta zona encontra-se atualmente interdita a não trabalhadores.






As gruas no cais carregam e descarregam as mercadorias.






As seguintes fotos apresentam o Cais Novo de Faro visto da Cidade de Faro.










 A Estrada do Cais Comercial constitui um elo entre o Cais Novo de Faro e a cidade de Faro. Este acesso viário encontra-se inserido na Ria Formosa, que o acompanha de ambos os lados.


































Ao longo desta estrada encontram-se alinhadas Palmeiras-das-Canárias (Phoenix canariensis). A sua copa, em forma de coroa, apresenta longas folhas divididas em folíolos. As suas flores são pequenas e alaranjadas, nascem entre Março e Abril e agrupam-se em longos cachos. Os seus frutos ovais surgem entre Junho e Agosto. O seu tronco, largo e direito, é castanho-acinzentado e é formado pelas bases sobrepostas e endurecidas de folhas antigas, que caíram devido ao crescimento da árvore. Uma vez formado, o seu tronco já não engrossa. Esta árvore pode atingir 20 m de altura e as suas folhas podem alcançar 7 m de comprimento.
Em Portugal, a Palmeira-das-Canárias existia em quintas como símbolo da riqueza colonial. Na década de 50, aumentou consideravelmente a sua plantação por se identificar com os destinos turísticos exóticos. Esta árvore transplanta-se facilmente e tem um crescimento lento. As suas folhas permanecem muito baixas e produzem pouca sombra até aos 30 anos.

Palmeira-das-Canárias
Família
Palmáceas
Origem
Ilhas Canárias
Longevidade
300 anos
Folhagem
Persistente









Desta zona avista-se a Cidade de Faro.

Cidade de Faro

Cidade de Faro – Vila Adentro e arredores.

Cidade de Faro – Zona Industrial do Bom João e arredores.

Cidade de Faro – Zona Industrial do Bom João

Cidade de Faro – Bairro Horta da Areia e Zona Industrial do Bom João.

Cidade de Faro – Bairro Horta da Areia e Zona Industrial do Bom João.

Cidade de Faro – Bairro Horta da Areia à direita

Cidade de Faro – Salinas de Faro, Vila Adentro e arredores.

Cidade de Faro – Salinas de Faro, antigo Cais Neves Pires e Vila Adentro.



Nesta estrada existe uma passagem de nível.