Algarve Meu Algarve

quarta-feira, 18 de julho de 2018

Vila de Castro Marim


Vídeo Vila de Castro Marim #Algarve #Portugal: https://www.youtube.com/watch?v=3oVA0dxI_ZE

A Vila de Castro Marim, sede do concelho de Castro Marim, localiza-se junto à Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António, na margem do Rio Guadiana. 
Castro Marim é uma das localidades mais antigas do Algarve. Há 5000 anos a.C. já aqui existiam povos exploradores de metais. Esta vila foi povoada por vários povos (ex.: fenícios, cartagineses, vândalos e mouros).
Os romanos iniciaram aqui uma estrada, paralela ao rio Guadiana, que passava por Alcoutim, Mértola e Beja, seguindo até Lisboa. 
Esta localidade foi um importante centro durante o domínio árabe, que durou cerca de 4 séculos, até 1242, altura em que D. Paio Peres Correia a conquistou.
Nesse período, este local era uma ilha rodeada por águas baixas e um porto importante. A foz do rio Guadiana era mais larga e a vila estava mais próxima do mar. Por aqui entrava o comércio oriundo do Mediterrâneo.
A sua localização estratégica face à fronteira com o reino de Castela e a necessidade de afugentar os ataques mouros do Norte de África, explicam a existência do Castelo de Castro Marim, do Forte de São Sebastião e do Revelim de Santo António, cada um na sua colina, e das muralhas que envolviam todo o casario, existindo ainda alguns troços. As suas ameias constituem um miradouro privilegiado da zona envolvente. 
A sua história proporcionou a popularização de lendas sobre princesas mouras e cavaleiros corajosos que as pretendiam arrebatar aos encantamentos.
Nesta vila predomina a arquitetura tradicional do Algarve, que se caracteriza por casas caiadas, janelas e portas emolduradas por barras coloridas, platibandas decoradas, chaminés rendilhadas e azulejos.

Gentílico: Castromarinense
















Paços do Concelho

Paços do Concelho

Paços do Concelho


Mercado Municipal

Mercado Municipal
















Monumento aos Músicos

Monumento aos Músicos





O Castelo de Castro Marim localiza-se no cimo de uma colina, que permite mirar a vila e a sua envolvente, incluindo a Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António, a cidade de Vila Real de Santo António e a cidade de Ayamonte.
O denominado Castelo Velho foi mandado construir pelo rei D. Afonso III, no séc. XIII. E foi dentro das suas muralhas que a vila nasceu.
Em 1279, no reinado de D. Dinis, foi construída a Cerca medieval. No início do séc. XIV, Castro Marim foi a primeira sede da Ordem de Cristo, que foi criada para substituir a Ordem dos Templários. O Infante D. Henrique foi nomeado governador da ordem e morou no Castelo de Castro Marim.
No princípio do séc. XVI, o Castelo Velho foi beneficiado com obras e a sua estrutura quadrangular foi reforçada com torreões de forma circular. 
Durante a Guerra da Restauração (1640-1668), o Castelo foi remodelado e ligado ao Forte de São Sebastião através da Cerca Seiscentista. Castro Marim tornou-se então a principal praça de guerra do Algarve.
No recinto das muralhas encontra-se a Igreja de Santiago (data do séc. XIV) e vestígios da Igreja de São Tiago, do Palácio dos Alcaides e de algumas habitações.
A 24 de Junho de 2007 foi inaugurado o Núcleo Museológico do Castelo de Castro Marim. Encontra-se no interior do Castelo e atesta aspetos etnográficos, geológicos, arqueológicos e históricos da região. O seu acervo é proveniente de escavações arqueológicas realizadas no local e é constituído por objetos artesanais pertencentes a diversos povos.
Encontra-se classificado como Monumento Nacional desde 1920.




















































O Revelim de Santo António foi mandado construir por D. João IV., no séc. XVII. Este pequeno forte permitia controlar o fluxo do Rio Guadiana. A reabilitação da Colina do Revelim de Santo António terminou em 2008. Atualmente, encontra-se nesta colina um Centro Interpretativo do Território; um moinho de vento; uma zona verde; e a Capela de Santo António, que apresenta um estilo arquitetónico barroco.








A Casa do Sal visa valorizar a salinicultura tradicional e desenvolver atividades sociais, culturais e recreativas. O edifício de um antigo armazém, denominado “Balalaica”, foi recuperado para albergar este espaço. No pátio interior, encontra-se uma pintura mural, da autoria de Abel Viegas, dedicada à atividade salineira.





O Forte de São Sebastião foi mandado construir pelo rei D. João IV, aquando das Guerras da Restauração com Espanha, e terá sido iniciado em 1641. A sua designação nasceu do facto de ocupar o local o¬nde anteriormente terá existido uma ermida dedicada a São Sebastião. A planta do forte adaptou-se ao cerro em que se inseriu (Cerro do Cabeço), criando um recinto amuralhado irregular, que integra 5 baluartes. Este forte encontra-se ligado ao Castelo de Castro Marim através das muralhas.
























A Igreja Matriz de Nossa Senhora dos Mártires situa-se num vale, entre o Castelo de Castro Marim e o Forte de São Sebastião. Data do séc. XVI. Do adro da igreja pode-se observar a Vila de Castro Marim de forma privilegiada.